2.1.4 Livres para ir e vir

“Encurralar” ou “cercar” os consumidores foi uma prática bastante explorada pelo mercado em décadas passadas. Apesar de antiquada nos dias atuais, ainda é comum encontrar negócios insistindo no seu uso, causando situações de desconforto entre os consumidores ou mesmo originando problemas mais graves (como processos judiciais, por exemplo). Atendentes que seguem consumidores em lojas físicas ou “programas de fidelidade” com cláusulas obscuras e juros altíssimos, são soluções não mais bem-vindas, e os negócios que mais tem se destacado no mercado definitivamente encontraram maneiras melhores de dar assistência ao consumidor ou mantê-lo fiel.


Insights

O que você pode fazer:

  • Coloque a experiência do consumidor como prioridade do seu negócio. Pesquise mais sobre ele: é um consumidor que gosta de ser abordado ou não? É um consumidor que tem facilidade para lidar com interfaces e tecnologia?
  • Se possível, você também pode implementar um sistema de autoatendimento para o consumidor realizar as operações mais cotidianas – mas nunca deixe de colocar à disposição a opção de atendimento humano.
  • Lembre-se: seu público é o principal divulgador da sua marca.

Vale a pena pesquisar sobre:


Dados

A Croma Marketing Solutions realizou um estudo que apontou que 60,4% dos consumidores desejam utilizar muito a modalidade de autoatendimento.

Fonte: Pricefy; Fonte mencionada: Croma Marketing Solutions

Em 2016, a Croma Marketing Solutions também apontou que mais de 60% dos brasileiros preferiam a disponibilidade de autoatendimento para realizar as suas compras. Segundo o estudo, o autoatendimento reduz em pelo menos 40% o tempo em filas.

Fonte: Ecommerce Brasil; Fonte mencionada: Croma Marketing Solutions

Ifood revela em pesquisa que, dentre os motivos para a ação de realizar pedidos via digital, estão a facilidade em fazer o pedido (64%), o acesso ágil ao cardápio (55%) e não precisar falar com o atendente (51%).

Fonte: Meio e Mensagem; Fonte mencionada: iFood