Dando continuidade à nossa série de posts sobre os parceiros do Brasil na Copa de 2014, com o olhar voltado para economia mundial, hoje vamos falar sobre a República de Camarões.

Localizada na costa Oeste da África, ocupa área de 475 mil km2 e faz fronteira com Nigéria, Chade, República Centro-Africana, Congo, Gabão e Guiné Equatorial. As principais cidades são a capital Iaundé, Douala, Bamenda; Bafoussam e Garoua.

O setor primário representa cerca de 30% da economia e é a base para a indústria manufatureira local. A agricultura é o setor que mais absorve mão-de-obra, com alto grau de especialização para cultivo de cacau, café, algodão e borracha.

Com PIB Nominal de US$ 26 bilhões e crescimento de 4,1% em 2011, Camarões posicionou-se como a 93ª economia mundial.

O setor de serviços respondeu por 48% do PIB, seguido do industrial com 32% e do agrícola com 20%.

No ranking do FMI Camarões figurou como o 115º mercado mundial, sendo o 106º exportador e o 121º importador.

As exportações do país são destinadas em grande parte a Espanha, China, Holanda e Itália. Em 2011 os países referidos absorveram 43% do total das vendas camaronesas.  O Brasil posicionou-se no 46º lugar em 2011.

Combustíveis são os principais produtos da pauta de exportação camaronesa, representado com 46% do total das vendas. Destacando-se, sobretudo, a venda de óleo bruto de petróleo. Em seguida destacam-se a exportação de madeira e cacau, ambos representaram 32% em 2011.

Os produtos manufaturados se destacam na pauta de importações de Camarões. Máquinas e automóveis tiveram grande relevância na composição das compras camaronesas, cujos percentuais representaram 33% do total em 2011. Destacaram-se em seguida: cereais (6%); obras de ferro ou aço (4%) e produtos farmacêuticos (4%).

Camarões foi o 101º parceiro comercial brasileiro em 2011. Entre 2007 e 2011, o intercâmbio comercial brasileiro com o país cresceu 7%, passando de US$ 132 milhões, para US$ 142 milhões. As exportações cresceram 14%, enquanto que as importações apresentaram substancial decréscimo, cerca de 63%. Em todo período analisado o saldo da balança comercial, apresentou-se favorável ao Brasil, registrando em 2011 superávit de US$ 134 milhões.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

As exportações brasileiras destinadas a Camarões apresentaram alto grau de concentração. Açúcar e produtos químicos inorgânicos foram responsáveis por 88% do total da pauta exportadora, sobretudo, a venda de açúcar de cana bruto e alumina calcinada. Em seguida destacaram-se as máquinas mecânicas com participação de 5%.

As importações brasileiras originárias de Camarões apresentaram, também, alto grau de concentração. Borracha foi o grupo de produto responsável por cerca de 79% das compras brasileiras, sobremaneira a importação de látex, que em valores alcançou a cifra de US$ 2,7 milhões em 2011. Em seguida destacou-se a compra de madeira com 13% do total.

E que venha o Chile!!!!!!

Este conteúdo foi útil para você?


Este conteúdo foi útil para você?

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast