No post anterior apresentei um breve histórico da história do franchising. Como o berço deste sistema são os Estados Unidos, é natural que a primeira parte na história acontecesse quase que toda por lá.

Apesar de chegar por aqui um pouco mais tarde, já temos uma atuação importante neste mercado, inclusive contando com diversos casos de sucesso de franquias que traçaram o caminho da internacionalização.

Neste post pretendo contar um pouco da história de como chegamos até aqui.

Do ponto de vista do modelo de negócio: expansão da empresa por meio de terceiros, já existiam iniciativas no país desde a década de 1940. Na década de 1960 surgiram as primeiras iniciativas de franquias propriamente ditas, que foram no segmento de ensino de idiomas, a Yazigi e a CCAA, ainda de maneira pouco estruturada, a base era a transferência do know-how através do material didático. Além destas algumas outras poucas também começam a se movimentar.

Na década de 1970 efetivamente começa a surgir um movimento do sistema de franchising no Brasil, com marcas de diferentes segmentos adotando o modelo como estratégia de expansão, como Boticário e Ellus, além da estruturação das que foram criadas na década anterior.

No mesmo período as marcas americanas realizam um forte trabalho de internacionalização, começando a chegar por aqui nomes fortes como o McDonalds.

Na década de 1980 o movimento então ganha força, muitas empresas adotam o sistema de franquias, e vira a sensação do momento. Exigindo assim alguma organização da atividade que vem através da criação da Associação Brasileira de Franchising (ABF) em 1987.

A partir da criação da ABF houve um grande amadurecimento do setor, chegando na publicação da lei 8955 em 1994. A lei permitiu uma explosão ainda maior do sistema, pois passaram a existir as regras básicas do jogo, o que deu maior segurança para aqueles que pretendiam investir no franchising. O numeroso franchising na década de 1990 cresceram muito.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Desta forma, pode-se observar que a cada década grandes saltos foram realizados no crescimento do setor, tanto no sentido de volume movimentado (faturamento, unidades, marcas, etc.) como também em organização e aprimoramento da gestão e do ensino do franchising.

Evolução do número de redes franqueadoras de 2003 a 2014 – fonte: ABF

Para concluir: o que podemos aprender com a história do franchising no Brasil é que o começo foi difícil mas devido a pessoas com vontade e determinação o sistema cresceu, e com o passar do tempo além de crescer, evoluiu e amadureceu.

A tendência é positiva, e os dados mostram que um trabalho bem feito tem gerado excelentes resultados neste setor.

Bons negócios e até a próxima.

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast