Quando   a maior economia da América Latina, entrou em campo ontem para jogar com a   maior economia da Europa e 4ª do mundo, jamais imaginou que seria “nocauteada”   em campo, causando a maior decepção para torcida brasileira! Com   PIB nominal de US$ 3,64 trilhões e crescimento de 0,54% em 2013, a Alemanha   destacou-se como a 4ª principal economia do mundo. O setor de serviços é o   principal ramo de atividade e respondeu por 69% do PIB, seguido do industrial   com 30,1% e do agrícola com 0,8%. O comércio exterior da Alemanha apresentou, em 2013, crescimento de 27,8% em relação a 2009. No ranking da ONU/UNCTAD de   2012, a Alemanha destacou-se como o 3º principal mercado mundial, sendo o 3º   maior exportador e o 3º maior importador. O saldo da balança comercial   apresentou-se superavitário, no período sob análise, totalizando em 2013   saldo positivo de US$ 265 bilhões.

As   vendas alemãs foram direcionadas em grande parte aos vizinhos da Europa, que   absorveram 65,3% do total em 2013, seguidos da Ásia com 18,4% e do continente   americano com 12%. O Brasil posicionou-se no 20º lugar entre os compradores   da Alemanha com 1,0% do total.

Os   países vizinhos da Europa são os principais abastecedores do mercado alemão.   Em 2013, somaram 71,3% do total, seguidos dos países asiáticos (15,4%) e do   continente americano (6,2%). O Brasil posicionou-se no 27º lugar entre os   fornecedores do mercado alemão, com 0,6% do total.

Máquinas   mecânicas foi o principal grupo de produtos da pauta das exportações da   Alemanha. Em 2013, as máquinas mecânicas representaram 17,5% do total.

A   pauta das importações da Alemanha apresentou-se concentrada em combustíveis e   bens com alto valor agregado.

A   Alemanha foi o 4º principal parceiro comercial brasileiro, com participação   de 4,5% no comércio exterior do Brasil em 2013. Entre 2009 e 2013, o   intercâmbio comercial brasileiro com o país cresceu 35,5%, de US$ 16,04   bilhões para US$ 21,73 bilhões. Nesse período, as exportações cresceram 6,1%   e as importações, 53,8%. O saldo da balança comercial, deficitário ao Brasil   em todo o período sob análise, registrou saldo negativo de US$ 8,63 bilhões   em 2013.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

As   exportações brasileiras para a Alemanha são compostas, em sua maior parte, por produtos básicos, que representaram 62,0% do total em 2013, com destaque   para minérios, café e farelo de soja.

Os   produtos manufaturados somaram 95,1% da pauta de importações em 2013, representados sobretudo por máquinas, automóveis e produtos farmacêuticos. Os   semimanufaturados com 4,5%, e os básicos com 0,4%.

Máquinas   mecânicas foram o principal grupo de produtos importados da Alemanha.

A  4ª potência econômica do mundo, ganhou o jogo com maestria e merecimento! Que   sirva de lição para que nos agigantemos para construirmos um país melhor!

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast