2.2.4 Trabalho a distância e escritórios híbridos

Um mundo globalizado e hiperconectado é intrinsecamente diverso e multicultural. A inclusão de grupos minoritários, antes pouco percebidos ou atendidos pela indústria, é uma das grandes exigências do consumidor O modelo de trabalho a distância, amplamente difundido durante a pandemia, fez com que os negócios experimentassem em larga escala o formato híbrido ou completamente remoto, e por um longo período. Este foi, sem dúvidas, um divisor de águas para o mercado, pois a partir de agora uma fatia considerável de empresas viveu na prática as vantagens do trabalho a distância e já não pretende mais voltar ao formato tradicional. Muitos escritórios presenciais serão extintos e outros terão seu uso ressignificado: se antes o local de trabalho era focado em supervisão e “prestação de contas” dos trabalhadores, agora no modelo híbrido se torna um espaço para confraternização e team building.


Insights

O que você pode fazer:

  • Mantenha a atenção, pois este é um período de adaptação e isto requer alguns cuidados, devido a inexperiência dos colaboradores e das próprias empresas – por exemplo, quanto a segurança de dados.

Vale a pena pesquisar sobre:


Dados

  • Segundo a Forbes, 50% da força de trabalho nos EUA em breve será remota.
  • O número de trabalhadores remotos na Europa cresceu de 7,7% para 9,8%.
  • Funcionários que passam de três a quatro dias trabalhando fora da empresa se sentem mais engajados com suas equipes, afirma o New York Times.
    Fontes: Forbes, Wework; Fontes mencionadas: New York Times
  • A McKinsey descobriu que mais de 50% dos funcionários deseja continuar trabalhando remotamente, pelo menos três dias por semana, quando as atividades no escritório forem retomadas, e 31% afirma preferir não voltar.
  • Segundo uma pesquisa da Workplace Intelligence com a WeWork, um grande desejo dos trabalhadores é encontrar o equilíbrio entre suas vidas pessoais e profissionais. 95% dos entrevistados afirmam querer controlar quando, onde e como trabalham, e 62% classifica o equilíbrio entre a vida e o trabalho o maior benefício do modelo híbrido.
  • A possibilidade do trabalho remoto começa a ser considerada na hora de permanecer na empresa. Em maio de 2021, a Morning Consult realizou uma pesquisa onde 39% dos 1.000 funcionários entrevistados disseram que considerariam pedir demissão se seus chefes não os deixassem manter a flexibilidade do trabalho remoto.
    Fonte: Wework; Fontes mencionadas: McKinsey, Workplace Intelligence + Wework, Morning Consult.
    Um estudo da IBM apontou que 52% dos profissionais brasileiros desejam manter o home office após a pandemia, com idas ocasionais ao escritório.
  • De acordo com uma pesquisa da Cushman & Wakefield, 73,8% das empresas brasileiras pretendem instituir o trabalho remoto como prática definitiva.
    Fonte: Carvalhando; Fontes mencionadas: IBM, Cushman & Wakefield