1.4.3 Comprinhas Impulsivas

Outro sintoma pós-pandêmico que estará presente na população é a impulsividade. Embora os índices econômicos não estejam favoráveis, o consumo de produtos e serviços tende a crescer – e o comércio já começa a sentir os primeiros impactos da retomada. Para o mercado em geral, estas são boas novas, mas para o consumidor nem tanto: as famosas “comprinhas” podem causar prazer de imediato, mas a longo prazo podem se tornar um grande problema financeiro. Para as empresas, é momento de oportunidade de expansão mas, ao mesmo tempo, de muito cuidado: uma sociedade endividada é uma sociedade em crise. E já sabemos muito bem que uma sociedade em crise é um problema que, cedo ou tarde, afeta a todos, não é mesmo?


Insights

O que você pode fazer:

  • Este é um momento oportuno para investir em promoções e marketing, além de explorar sua presença digital. 
  • Aposte em promoções sazonais, de forma que o público saiba, antecipadamente, quando e como vão acontecer.

Para refletir:

  • Atenção! Não estimule compras em excesso e o endividamento do seu consumidor. Se possível, auxilie-o a calcular seus gastos, controlar seu orçamento (confira a tendência 1.3.4 Autogerenciamento), e ofereça-lhe opções de pagamento mais flexíveis. Cuidado para não se tornar uma loja ou marca que simbolize experiências de pós-compra negativas para o consumidor.
  • Que tal buscar parcerias com negócios ou aplicativos de gerenciamento financeiro?

Dados

  • Enquanto no cenário global 43% das pessoas relataram realizar mais compras online durante o isolamento social, 47% dos brasileiros tem realizado mais compras pela internet do que faziam antes do período de pandemia. Os dados são da pesquisa Shopping During The Pandemic realizada pela Ipsos, com entrevistados de 28 países. 
  • Em todo o mundo, pessoas com poder aquisitivo mais alto foram as mais expressivas no crescimento das compras online: 49% fazem mais compras online do que antes. As pessoas de baixa renda são 37% e na classe média representam 43%. 
    Fonte: Mercado e Consumo, Ipsos