1.3.3 Anti-infoxicação

Apesar das vantagens de uma sociedade cada vez mais digitalizada, o crescimento de problemas aparece em ritmo similar, causados especialmente pelo excesso informacional – são muitas as novidades e os estímulos. Apelidado de “infoxicação” (uma fusão entre as palavras “intoxicação” e “informação”), este fenômeno tem deixado as pessoas mais sobrecarregadas e, ao mesmo tempo, mais propensas a distrações, o que aumenta a probabilidade de cometer equívocos ou cair em golpes, por exemplo. Como maneira de evitar estas altas cargas de estresse, a tendência é que aumentem os esforços para filtrar as demandas de atenção que realmente importam. Entre as práticas de “curadoria informacional”, estão atitudes como “dar mais unfollows” (ou “deixar de seguir”), reduzir assinaturas de newsletters, mover e-mails de ofertas para a caixa de spam, utilizar adblockers (bloqueadores de publicidade digital), ativar modos silenciosos, etc.


Insights

O que você pode fazer:

  • Se você cria conteúdo digital para o seu negócio, foque em priorizar a qualidade e, se necessário, reduzir a quantidade.
  • Todas as empresas estão usando as mesmas técnicas de comunicação digital, o que acaba criando um efeito reverso – o cliente prefere bloquear as mensagens. Por isso, nade contra a corrente: envie mensagens menos frequentes e menos insistentes (e-mails, newsletters, whatsapp, sms). Deixe o cliente respirar e decidir se quer, e quando quer (ou não), adquirir o seu produto/serviço.
  • Você ainda pode criar uma comunidade em torno da proposta de valor do seu negócio. Esta é uma forma de ter menos “seguidores” e mais fidelizados.

Dados

  • Um relatório publicado pelo Spotify em 2020 revelou que 64% dos brasileiros da Geração Z estão cada vez mais cautelosos com as grandes instituições.
    Fonte: Marcamais, Spotify