1.1.1 Consumo Digital

De bancos 100% digitais à telemedicina, o público já se habituou à ideia de consumir serviços totalmente digitais, e agora espera poder solucionar a maior parte dos problemas cotidianos no conforto de sua casa. Isto inclui consultar serviços, realizar compras e pagamentos, e demais tipos de atendimento. Isto é, embora os consumidores não pretendam abandonar a visita a espaços físicos, eles passam a compreender este movimento muito mais como “passeio e lazer” ao invés de “resolução de pendências”, e por isso darão cada vez mais preferência aos negócios que estão bem alinhados a esta mentalidade.


Insights

O que você pode fazer:

  • Você, enquanto consumidor, provavelmente utiliza muitos serviços digitais, certo? Reflita: quais são os 5 que você mais gosta? Analise estes serviços com o seu mindset de empreendedor (aqui, vale revisitar ferramentas de estratégia como análise SWOT, Diagrama de Kano, etc) e avalie as melhores estratégias. Inspire-se nelas. | Sugestão de Link do Sebrae
  • Estude o seu público para compreender os canais de maior interesse ou afinidade, e invista apenas nos pontos de contato que mais façam sentido para ele. Assim você pode reduzir os gastos em anúncios e focar em campanhas mais objetivas, ampliando suas vendas e aumentando seu engajamento.

Vale a pena pesquisar sobre:

  • Segmentação psicográfica é uma técnica que estuda traços psicológicos que influenciam os hábitos de consumo das pessoas. Pesquise sobre isso.
  • Pesquisar sobre jornada de atendimento/usuário. Sugestão de link.

Dados

  • Segundo uma pesquisa realizada pela MOB INC. em junho de 2021, 97% dos brasileiros entrevistados declararam ter aumentado seu volume de compras por meios digitais.
  • Também para 36,7% dos entrevistados, de 30% a 40% dos gastos totais foram realizados em ambiente digital. Fonte: ​​Portal Mercado e Consumo
  • Segundo uma pesquisa da Neotrust, que analisou dados de compras realizadas por e-commerce no Brasil, referentes ao primeiro trimestre de 2021, a modalidade teve alta de 57,4% em comparação ao mesmo período de 2020. A pesquisa também constatou que o e-commerce brasileiro teve faturamento de R$35,2 bilhões entre janeiro e março de 2021, tendo um aumento de 72,2% se comparado ao mesmo período em 2020. Fonte: Ecommerce Brasi