Gestão Financeira

O sucesso da sua empresa depende de uma boa gestão financeira do seu negócio. A pedido de milhares de clientes, o Sebrae desenvolveu a Trilha do Conhecimento Gestão Financeira, formada por 3 cursos 

Finanças no dia a dia

Formado por aulas para ajudar nas finanças diárias e rotineiras do seu negócio. Conheça os temas:

  • Fluxo de caixa
  • Como vender mais
  • Como precificar os seus produtos
  • Pró-labore - como calcular?
  • Ponto de equilíbrio
  • Como cuidar dos seus estoques
  • Financiamentos

Para participar, basta se inscrever!

 

Finanças Essenciais

Traz conhecimentos fundamentais para todos os empresários. Veja o que você vai aprender:

  • Indicadores econômicos
  • Fidelização de clientes
  • Investimentos
  • Tributos
  • Custos
  • Viabilidade Econômica
  • Administração de estoques
  • Demonstrativo Gerencial de Resultados
  • Ciclometria
  • Orçamento pessoal
  • Capital de Giro

Para participar, basta se inscrever!

 

Questões Estratégicas Financeiras
um curso que aborda questões financeiras que podem ajudar ou atrapalhar o seu negócio. Conheça as aulas:

  • Descontos para vender mais
  • Endividamento
  • Liquidações e promoções no fim de temporada
  • Inadimplência
  • Gestão da empresa na sazonalidade
  • Sócios
  • Giro de estoque
  • Processos

Para participar, basta se inscrever!

Conheça o formato do curso:

 

Conheça a opinião de quem já participou:


Mais Finanças

Mais Finanças

 

mais_finanças

O suporte que você precisa para ter acesso consciente ao crédito, de forma ágil e estruturada.

mais_finanças

O suporte que você precisa para ter acesso consciente ao crédito, de forma ágil e estruturada.

SOLUÇÕES FÁCEIS E ACESSÍVEIS

Com o Mais Finanças, você tem orientação e informação à sua disposição para entender mais como o conhecimento pode ajudar na tomada de decisões e no acesso consciente ao crédito. Com o conhecimento à mão, você se sentirá muito mais seguro para investir no futuro e fazer com que suas decisões se tornem ativos eficientes no longo prazo.

Com o Mais Finanças, você tem orientação e informação à sua disposição para entender mais como o conhecimento pode ajudar na tomada de decisões e no acesso consciente ao crédito. Com o conhecimento à mão, você se sentirá muito mais seguro para investir no futuro e fazer com que suas decisões se tornem ativos eficientes no longo prazo.

COMO PODEMOS AJUDAR?

COMO PODEMOS AJUDAR?

Informação e Tendência

Diagnóstico

Informação e Tendência

Diagnóstico

MOVIMENTE SUA VIDA FINANCEIRA

Conte com um verdadeiro HUB Digital, que possui a confiança e a praticidade necessárias, de maneira segura e simplificada !

Conte com um verdadeiro HUB Digital, que possui a confiança e a praticidade necessárias, de maneira segura e simplificada !


Trilhas do Conhecimento Sebrae

Trilhas do Conhecimento

As Trilhas do Conhecimento trazem os temas mais procurados por empreendedores e empresários do Brasil, em um único lugar. No formato de vídeos curtos, publicações em PDF, planilhas e checklists para você aprender quando quiser e, aplicar imediatamente no seu negócio. E o melhor de tudo é que a nossa trilha é 100% gratuita! Confira os temas e as trilhas disponíveis:

Trilhas do Conhecimento Sebrae

Tudo do Sobre o MEI

  • Quero ser MEI: O que é MEI, benefícios e obrigações, registro de atividade, registro do MEI, cartão CNPJ.
  • Sou MEI: Todas as rotinas e obrigações do MEI, como atualização de dados, impressão e pagamento do DAS, emissão de notas fiscais, declarações, fechamento de empresa, mudança, categoria e obtenção de benefícios.

Gestão Financeira

  • Finanças no dia a dia: fluxo de caixa, precificação, pró-labore, como vender mais, ponto de equilíbrio, estoques e financiamentos.
  • Questões estratégicas financeiras: descontos, promoções, sazonalidade, gestão, inadimplência, sócios, processos, giro de estoques e equipe de vendas.
  • Finanças essenciais: indicadores econômicos, fidelização de clientes, investimentos, tributos, custos, viabilidade econômica, administração de estoques, DRE, ciclometria, orçamento pessoal e capital de giro.

Gestão em Vendas

  • Como elaborar um processo de vendas, como criar um funil de vendas, como prospectar clientes, plano de vendas, marketing, como traçar e monitorar metas, capacitação e gestão da equipe de vendas.

Guia de Marketing para pequenos negócios

  • Sobre o marketing e publicidade, público-alvo, personas, mapa da empatia, metas de campanhas, conteúdo e linguagem, design e identidade visual, marca e branding, storytelling, canais de divulgação, sites e blogs, mídias sociais, Facebook e Instagram, Whatsapp for business, Google meu Negócio, atendimento e prova Social, Customer Success e funil de vendas.

Como fazer um Canvas

  • Aprenda a fazer o Canvas do seu negócio em poucos minutos!

Flow Liderança

  • Consolide uma liderança transformadora nos seus negócios.

Softskills para Empreendedores

  • Habilidades essenciais para quem deseja empreender.

E muitos outros temas!

Você pode assistir quantos vídeos quiser, escolher os temas que desejar e no momento em que for mais oportuno. Aproveite ;)

Na conclusão de cada trilha, você recebe um certificado. Bons estudos e sucesso no seu negócio!

Para participar, basta se inscrever!

Conheça a opinião de quem está participando:

Inscreva-se:

Para participar, basta se inscrever!

 


Dicas para driblar a Inadimplência!

Para minimizar a inadimplência, alguns cuidados podem ser úteis e o financeiro de sua empresa pode agradecer, segue então, algumas dicas para driblar a inadimplência!

Observe essas dicas:

Sazonalidade – observe em que épocas do ano a inadimplência é maior ou menor para o seu segmento de negócio!

Início de ano – alguns períodos podem ser responsáveis por provocar aumento da inadimplência em sua empresa. Um exemplo típico é o início do ano, depois que os consumidores passaram pelas compras de Natal, suas férias de janeiro e a curtição do carnaval.

Queda nas atividades das empresas – neste mesmo período pode ser agravado também pelo fato de que ocorre a queda nas atividades nos setores empresariais.

Períodos de maior demanda financeira nas famílias – caso típico de início de ano, para famílias que têm filhos em idade escolar, compromissos com compra de materiais escolares, uniformes, pagamento de matrícula, dentre outros, pode provocar a necessidade de “desvio” do orçamento para estes fins e deixar de lado as prestações tradicionais.

 

Cuidados com recebimento de CHEQUES!

Para contas bancárias recém-abertas – parece folclórico, mas é verdadeiro, elas representam um alto índice de inadimplência. Isso ocorre porquê geralmente os falsários têm acesso a cadastros comerciais e com isso conseguem abertura de inúmeras conta correntes – tratam-se de contas reais, porém, movimentadas por pessoas irreais.

Para contas bancárias antigas – o risco é com relação a golpe do cheque falso, que não se trata de inadimplência, mas crime de falsificação. Neste caso, o consumidor que teve seu cheque falsificado não tem culpa, a instituição bancária também não, e o prejuízo acaba ficando com o empresário.

Por lei, nenhum estabelecimento é obrigado a aceitar cheques, mas deverá informar de forma clara ao consumidor, fixando cartazes visíveis, com informações ao cliente, como: “Não aceitamos cheques de terceiros”, ou, “só aceitamos cheques mediante apresentação de CPF e RG e mediante consulta”.

 

Evitar o financiamento através de crediário próprio!

Vender através de cartões de crédito ou de agentes financeiros pode ser a opção de vender a prazo, mas garantir o seu recebimento.

 

Garantias pessoais!  (alguns exemplos de garantias)

AVAL – é uma garantia dada por uma pessoa física ou jurídica que se responsabiliza pelo pagamento da dívida caso o tomador de crédito não honre com o seu compromisso.

FIANÇA – é uma obrigação escrita. É um contrato por meio do qual o fiador garante o cumprimento da obrigação do devedor caso este não o faça.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Garantias reais!  (alguns exemplos de garantias)

HIPOTECA – o pagamento da dívida é garantido com um bem imóvel. Embora conserve a posse do bem, a empresa só readquire a propriedade plena do bem após a quitação integral da dívida.

PENHOR – a empresa entrega um bem móvel à instituição financeira, como garantia de pagamento da dívida, mas também mantém sua propriedade. Caso a dívida não seja quitada no prazo, a instituição financeira recebe a posse definitiva e a propriedade do bem penhorado.

ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA – a empresa transfere a propriedade de um bem móvel a uma instituição financeira, mantendo apenas a sua posse, o que possibilita que a empresa continue utilizando o bem, mesmo estando ele alienado. Alienação Fiduciária. A propriedade do bem só é devolvida para a empresa depois que a dívida for paga integralmente.

 

Mesmo assim, todo empresário, não obstante utilizar-se de práticas para reduzir a inadimplência, ainda poderá ter problemas com consumidores inadimplentes, pois, tratam-se de situações muitas vezes não previsíveis… resta então, tratar de minimizar os impactos com cuidados especiais quando da concessão do crédito.

 

Pense nisso!

 


Falta de disciplina, preguiça ou dificuldade em controlar seus gastos… fatores que provocam dificuldades financeiras do brasileiro

Primeiro alguns indicadores:

Pesquisa realizada com 662 consumidores de todas as classes sociais e nas 27 capitais brasileiras:

  • 37% não se consideram organizadas financeiramente;
  • 69% admitiram sentir algum tipo de dificuldade para controlar suas finanças;
  • 59% admitiram realizar algum tipo de controle, mas, a minoria registra e controla diariamente;
  • 4% utilizam algum tipo de aplicativo para seus controles;
  • 32% utilizam planilhas;
  • 23% utilizam a caderneta de anotações;
  • 64% acham que o controle orçamentário não é uma prioridade.

Com relação a disciplina para o controle, eis as principais alegações:

  • 25% controla apenas de cabeça;
  • 8% alegam falta de tempo;
  • 4% alegam preguiça;
  • 4% não sabem como fazer;
  • 4% consideram a tarefa chata.

Agora as considerações:

Meu ponto de vista:
É notório que, realmente, muita gente alega uma grande aversão às suas próprias finanças… minha pergunta é: como ter aversão a sua própria riqueza? Afinal de contas, todos, de alguma maneira, dedicaram inúmeros anos de seu início de carreira (estudantil + profissional) para aprender a fazer algo que lhe garanta um bom rendimento.
Certamente, todos tem seus próprios sonhos e desejos: comprar algo ou fazer algo… isso, via de regra, se faz com recursos financeiros…
Então, fico indignado quando alguém diz que cuidar das finanças é algo chato… como assim se finanças é o resultado de tanta dedicação?

Um outro aspecto muito importante, para você que é empresário… perceba que os menos criteriosos são os principais candidatos a atrasos e não pagamento de suas contas… problema comum vivido pelas empresas que vendem a prazo – a inadimplência!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Dicas para simplificar a sua vida:

  1. ESTAS VOCÊ PRECISA FAZER UMA ÚNICA VEZ NO ANO
    Para aqueles que acham é chato, que é difícil, que não sabe como fazer, que falta tempo, ou… a dica é:
  • Faça um esforço concentrado e anote todos os seus gastos mensais;
  • Some estes gastos e verifique se seus rendimentos são suficientes para todos eles;
  • Verificou que sobra conta e falta rendimento… é hora de avaliar cada uma das contas e separar aqueles que são imprescindíveis daqueles que são dispensáveis;
  • Some novamente, agora, tão somente os imprescindíveis e verifique novamente se seus rendimentos são suficientes;
  • Separe os gastos que acontecem com regularidade, aquele que acontece toda semana (dinheiro para o vale-transporte, combustível, o supermercado, …) e estabeleça um padrão de gastos semanais.

 

  1. ESTAS SÃO PARA O SEU DIA-A-DIA
  • Ao receber seu pagamento, quite todas as contas imprescindíveis (energia, aluguel, prestações, …)
  • Nas segundas-feiras retire tão somente o montante dos gastos da semana e só volte a retirar mais dinheiro na semana seguinte.
  • Repita o procedimento todas as segundas-feiras, e, fora deste padrão não retire um só centavo e tampouco faça uso dos cartões.

PRONTO, este é o procedimento ideal para quem busca simplicidade na sua gestão financeira… abandone aplicativos, planilhas, cadernetas… saque o suficiente para a semana e utilize tão somente esse dinheiro… é simples assim!

Ah sim… e não se esqueça das suas economias… inclua nos compromissos imprescindíveis o valor mensal para a poupança e também o que sobrar da semana…


Descomplique suas finanças!

Muita gente alega que detesta finanças, aposto que você é um deles!!!

Outros complicam propositalmente, tannnnto, que o tema fica realmente complicado…

Falando-se das finanças pessoais então… até parece um bicho de sete cabeças!

Vamos lá… finanças pessoais na verdade é uma coisa muiiiiito simples!

Basta fazer uma só conta: de SUBTRAÇÃO!

É assim ó…

1. Pega o valor do seu salário, seu rendimento, sua pensão, sua aposentadoria, seu pró-labore… enfim, pegue o valor do seu ganho mensal;
2. Ôpa, espera aí… não é o seu valor bruto, tem que ser o seu valor líquido… por exemplo: um salário de R$ 1.000,00 gera desconto de INSS, então, o valor que você precisa pegar é o valor já descontado a sua previdência;
3. Anote esse valor numa primeira linha de uma folha;
4. Agora comece a anotar logo abaixo, os seus gastos com a casa: aluguel, água, energia elétrica, gás, IPTU, …
5. Agora registre seus gastos com a família: supermercado, vale-transporte, roupas, calçados, …
6. Agora é a vez dos gastos com o carro: IPVA, seguro, combustível, manutenção, …
7. Pronto, pegue o valor que você anotou na primeira linha e SUBTRAIA todos os demais valores, o que sobrar (tomara que sobre né?) é o que você tem para as reservas e para o lazer com a família.

Quer outra dica? Desta vez para que você não avance demais nas contas e falte dinheiro no final do mês? Só que agora você precisa fazer uso de uma segunda operação matemática: DIVIDIR!

O valor que você encontrou no passo 7, divida por 4, o resultado é quanto você tem para gastar durante 1 semana… pegue somente esse valor, coloque na sua carteira e use-o até findar a sua semana… se essa grana acabar antes do término da semana, bem, NÃO PEGUE MAIS NENHUM DINHEIRO, VIU? Azar é o seu que gastou demais no início da semana!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Agora, se o seu resultado for negativo, então, tem que reduzir seus gastos ou aumentar sua renda…

Viu como é simples?

Na história da humanidade, você sabia que a escrita fora inventada pela necessidade de controlar as finanças e o patrimônio dos grandes senhores de comunidades?  Desde os primórdios da humanidade já se sentia a necessidade de controlar as finanças pessoais, quem dirá nos tempos atuais… com tanta coisa boa para se comprar ou para se fazer…

Vamos lá… Pitágoras, Aristóteles e Hipócrates, pensadores matemáticos de um passado distante, e eu também é claro, torcemos para que você faça uso dessa operação… SUBTRAÇÃO!


Produzir e vender pouco é arrependimento certo!

Começarei contando uma pequena história, fato real, ocorrido anos atrás quando eu ainda era muito jovem, já analítico suficiente para presenciar, perceber e entender…

Meu pai era um agricultor bem-sucedido que cultivava café e para a sua produção requeria a contratação de mão-de-obra para o cultivo, isso representava, na época, a contratação fixa de várias famílias.

Numa dessas famílias, havia um colaborador ambicioso, que almejava algo mais, e, pediu que lhe fosse cedido uma pequena área de terras para que ele cultivasse feijão, assim, sua produção serviria para alimentar sua família e ainda poderia vender o restante para gerar uma renda extra.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Porém, inúmeros detalhes não foram previamente avaliados:

  • Qual área estaria disponível para avaliar a produção possível de ser obtida;
  • Quanto custaria esse cultivo, considerando os insumos: semente, adubo, inseticida/fungicida e transporte
  • Quanto representaria a renda extra com a venda do feijão excedente ao preço de mercado

Como era de se esperar, nenhum planejamento prévio fora realizado e isso implicou em 2 grandes situações:

  1. sua ambição era inversamente proporcional a sua experiência para o plantio de feijão
  2. o colaborador não dispunha de nenhum recurso financeiro para tal e apelou para o financiamento do tipo “patrãocínio”

O(s) resultado(s)?

  1. A falta de recursos e a inexperiência implicou em investimentos inadequados ao cultivo (doses inferiores de adubação e tratos culturais inadequados) o que resultou na baixa produtividade.
  2. Pequena geração de receitas não suficientes para cobrir os custos praticados.
  3. Uma grande frustração, em função de que, além de muita dedicação e trabalho ainda lhe restou dívidas de sua empreitada.

Moral da história 1:

  • Você quer produzir e vender? Planeje o quê, como, quanto e por quanto;
  • Avalie se existem recursos financeiros para a sua empreitada;
  • Avalie em quanto resultará a sua empreitada (quanto vai produzir, quanto vai faturar, quanto vai custar);
  • Avalie se vai gerar lucro!

Moral da história 2:

  • Se vai gerar lucro, avalie se esse lucro será suficiente para satisfazê-lo ou se vai compensar todo o seu esforço!

Moral da história 3:

  • O resultado lhe satisfaz?  Então, avalie quais serão seus riscos: inadimplência, sazonalidade, concorrência, mercado, preços, custos, mão-de-obra…

Moral da história 4:

  • Ainda é favorável? Ótimo, então, mãos à obra!
  • É desfavorável? Bem, certamente você já está repensando sobre sua próxima ideia para investimento, certo?

Ah sim… sabe qual foi o aprendizado desse colaborador?

Suas palavras:  “aprendi que produzir pouco é arrependimento certo: se desse certo eu me arrependeria por ter produzido pouco e, como deu errado eu me arrependi porque resolvi produzir sem recurso! ”


Seu sonho é ter na garagem: uma Ferrari, uma super motocicleta, um carro de luxo ou uma big lancha?

Não fique constrangido em dizer que esse também é o seu sonho, afinal, você também merece!

Conheço inúmeros empresários que alimentam esse sonho, outros já o realizaram!

Por que você ainda não tem o seu?

  • Por que ainda não tem reserva suficiente para tê-lo!
  • Por que sempre disseram que é errado você se dar a esse luxo!

Bem, se você faz parte do time da primeira opção, esse pode ser um sonho a ser alcançado num futuro próximo e você pode sim comprar o seu próprio mimo, tudo dependerá da capacidade financeira da sua empresa em proporcionar-lhe tal felicidade.

Já se você faz parte do segundo time, quem disse que é errado?

Ah sim… você já ouviu muitas pessoas dizerem “QUEM DEVE SER RICO É A EMPRESA, NÃO O DONO! ”

Esse dito popular também é verdadeiro… Portanto, vamos alinhar as prioridades e o que deve e o que pode?

Enriquecer a empresa é a primeiríssima prioridade sim!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Como fazê-lo?

Explore todos os potenciais da sua empresa, explore sua habilidade em “ganhar o mercado”, gere lucros para atender a 2 grandes prioridades:

  1. Crie reservas de no mínimo 6, o ideal seria mais meses para cobertura de todos os seus custos fixos, assim, os períodos de escassez poderão ser superados com mais tranquilidade. Lembre-se, sempre existirão períodos de retração do mercado, e, o prejuízo de 1 mês pode representar o lucro de vários meses para recuperá-lo.
  2. Realize todos os investimentos planejados, equipe adequadamente sua empresa, prepare adequadamente seus colaborares e não esqueça de inovar em seus produtos e serviços.

Cumpriu essas prioridades?

É hora de escolher – de acordo com seus sonhos e a capacidade da sua empresa – o seu desejado mimo!

E agora o grande argumento: e por que é merecido esse mimo?

Todos temos que ter fatores estimulantes para lutar pelos sonhos, afinal de contas, para que trabalhar tanto sem uma recompensa, certo?

Esse mimo é o seu grande estímulo para tentar crescer e crescendo você fortalece a sua empresa e proporciona longevidade!

Sucesso e compre o seu mimo!


LUCRO! É a sua meta! É o seu direito! Ele é necessário!

Falarmos em finanças empresariais e não falarmos do lucro da empresa é como pensarmos em praia sem ir à praia!

Afinal, o lucro é o grande propósito de toda empresa, senão, a grande obrigação de toda empresa!

Obter lucro nas operações traz um grande compromisso para os clientes – aqueles que propiciaram a obtenção do lucro – que é retribuir-lhes a preferência com um melhor atendimento futuro.

Esse melhor atendimento está associado a:

  • Oferecer novidades de produtos (melhores, mais modernos, mais atuais, mais opções, mais técnicos, mais qualidade, …)
  • Oferecer um atendimento diferenciado (com pessoal treinado, com ambiente especializado, …)
  • Oferecer rapidez na entrega (com processos mais rápidos, com fornecedores mais ágeis, …)
  • Oferecer garantias estendidas (com suporte técnico, com treinamentos técnicos, com durabilidade maior ao produto ou serviço, …)
  • Oferecer preços compatíveis a expectativa dos clientes (preços adequados ao perfil do produto, preços competitivos em relação ao mercado concorrente, …)
  • Oferecer prazos desejados pelos clientes (os prazos que os clientes querem via de regra é muito superior aos prazos que os fornecedores concedem…)

Você percebe que tudo que diz respeito e atender bem o cliente “mexe” liberalmente com o desempenho da empresa? Que tudo que se faça de melhor para o cliente pode representar riscos para a empresa?

Sim, é preciso “ficar esperto”, saber planejar bem quanto custa o bom atendimento ao cliente!

Quer alongar mais suas análises? Abaixo trago outros posts já editados para você rememorar, porque complementam essa nossa conversa.  (Copie o endereço e cole em uma nova página)

 

Que tal avaliar o desempenho econômico de sua empresa?

http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2013/12/16/o-ano-esta-acabando-que-tal-avaliar-o-desempenho-economico-de-sua-empresa/

 

Você está vendendo só por vender ou para ter lucro?
http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2014/06/23/voce-esta-vendendo-so-por-vender-ou-para-ter-lucro/

 

Pior do que não vender, é, vender e não receber!
http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2014/04/13/atencao-pior-que-nao-vender-e-vender-e-nao-receber/

 

Sobra de dinheiro em caixa não é sinônimo de lucro!
http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2014/03/31/sobra-de-dinheiro-em-caixa-nao-e-sinonimo-de-lucro/

 

Custo meta – esse pode ser o seu desafio!
http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2014/01/27/custo-meta-esse-pode-ser-o-seu-desafio/

 

11 dicas para encontrar o seu lucro!
http://sites.pr.sebrae.com.br/restore_blog/site/2013/12/09/11-dicas-para-encontrar-o-seu-lucro/

 

 

E lembre-se: a sua empresa é como uma plantinha num vaso, necessita de seus cuidados permanentes:

  • regá-lo regularmente
  • colocá-lo ao sol para realizar a sua fotossíntese
  • adicionar-lhe nutrientes
  • cuidar de sua poda
  • dedicar-lhe atenção

Tudo isso para que você possa contemplá-la com satisfação, sentir orgulho, mostrar aos amigos e clientes como ela é saudável e pode dar frutos!

Pense em tudo isso!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 


Mindset, Inovação e Steve Jobs: 3 coisas para pensar [e inspirar!]

A tão “glamurosa e misteriosa” inovação chega às empresas. O conceito, muitas vezes associado e confundido com a inovação tecnológica, ganha um espaço cada vez maior e pauta na agenda de empreendedores. Mas, quando pensar em inovação, no que devemos [realmente] pensar?

 

Desenvolver o mindset empresarial não é tarefa fácil. Um recurso cada vez mais escasso [aquele que chamamos de falta de tempo] faz com que empreendedores e empresas pensem menos sobre determinado assunto e decidam mais. Decidir faz parte do nosso dia a dia e não há como fugir disso. Mas, quando falamos em “mindset” [que significa: a maneira de uma pessoa pensar e suas opiniões], é complexo quando se trata de uma empresa, de uma organização. Ainda bem! Saber interpretar as coisas “em nossa volta” – e isso eu incluo informações internas, informações da economia, mercado, etc. – faz parte do processo de inovar. Afinal, para inovar, temos que quebrar paradigmas, ampliar nossa visão [chega de olhar somente para a concorrência local, vamos olhar pra fora!] e mais algumas coisinhas!

 

DEVO REALMENTE ME PREOCUPAR EM INOVAR?

Em maio deste ano, a McKinsey Global Institute publicou um material muito interessante chamado “Connecting Brazil to the world: A path to inclusive growth”.Com base neste material, separei três informações importantes que nos servem como subsídio base para nos atentarmos cada vez mais em inovação:

1)      […] como detentor de ricos recursos naturais, continuará sendo um dos principais exportadores de commodities para os próximos anos.

Tenha o seguinte pensamento: Como posso tornar a minha empresa tão inovadora, a ponto de ser reconhecida internacionalmente? Esse é o ponto! Pensar global, agir local.

 

2)      […] o imperativo de se tornar mais conectado não é apenas uma questão de comércio e finanças, no entanto. O Brasil também precisará mobilizar competências avançadas, conhecimentos, tecnologias, talentos e adotar as melhores práticas seguidas em todo o mundo.

Opa! Quais são as práticas importantes para fazer seu negócio crescer e ser mais sustentável? Enumere tudo aquilo que você acredita que precisa melhorar/mudar. Sonhe alto, sem medo de colocar as metas no papel. Depois, separe por prioridades.

Não se esqueça: As pessoas são papel fundamental nesse processo. Um grande exemplo é a filosofia de William L. McKnight [trabalhou por 60 anos na 3M. Foi contratado como guarda-livros em 1907 e assumiu responsabilidades até se tornar presidente da companhia em 1929 e finalmente, “chairman of the board” de 1949 até 1966]: “Contrate pessoas boas e deixe-os fazer o seu trabalho com suas próprias maneiras e tolere os erros.”

 

3)      […] focar suas políticas públicas em ações que promovam inovação e assim, permitirá que o Brasil oferte produtos e serviços de maior valor agregado, tornando-se uma economia mais diversificada e resiliente.

Quais são os produtos/serviços que você pode inovar e assim, ter maior valor agregado e visibilidade? Por exemplo, este mês a APEX Brasil e MDIC [Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior] lançaram o Diagnóstico do Design Brasileiro. É importante analisar como o design pode se tornar uma ferramenta indispensável para qualquer empresa e esta, fazer do Business Designuma estratégia para ampliar sua competitividade no cenário atual. O design é uma das práticas internacionais, que, quando bem trabalhado facilita a exportação!

Você sabia? Pesquisas indicam que empresas inovadoras gastam 50% de tempo e recursos a mais com pesquisa do que empresas não inovadoras? Pois é! ;D

 

 STEVE JOBS, O CARA!

Difícil falar de inovação e não falar de Steve Jobs. Ao escrever este post, mudei mil vezes esse título. Pensei: “quero colocar as 3 bases deste post no título”. E ao escrever, fui mudando. Assim é a empresa. Ela vai se modificando de acordo com o mercado, com as tendências, com a economia…inovar é pensar, repensar, mas também é dizer NÃO. Antes de iniciar e escrever, sempre faço uma pequena lista do que eu NÃO quero escrever. Isso faz com que o meu pensamento se limite e se concentre apenas naquilo que quero dizer [e mesmo assim ainda é difícil! Até onde a sua empresa pode ir? Até onde você não quer ir? Para colocar novos produtos no mercado [e fazer com que estes sejam aceitos] há diversas particularidades que desafiam o nosso empreendedor. Mas retirar produtos [seja o motivo que for: falta de venda, existe outro substituto, etc.] também faz parte da inovação. Quando Jobs voltou à Apple, ele reduziu drasticamente o número de produtos que a empresa fez para que cada produto tivesse uma equipe muito boa. Quando Jobs apresentou o iPhone em 2007, ele apontou que, enquanto outros fabricantes de smartphones estavam adicionando recursos e botões, a Apple iria removê-los, tornando o iPhone mais simples, mais clean. “A inovação vem ao dizer não para mil coisas”, disse Jobs.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Experiência para o cliente: Muitas vezes a inovação não vem no produto ou no serviço em si ofertado. Muitas vezes vem na forma como é ofertado. Criar a experiência para o cliente no ponto de venda é um exemplo. Estes dias estive na loja Loungerie, em Curitiba, e me surpreendi com a “consultoria” que me foi dada. Entrei para conhecer [aquele famoso “estou só olhando, obrigada! ”e sai encantada! E claro, comprei! A compra quando não é por necessidade, deve ser trabalhada. Envolver. E ponto. A Apple sabe envolver muito bem também!

Fugindo de conceitos, inovar é olhar para fora. E olhar para dentro também.

Steve Jobs conclui para a gente: “tenha a coragem de seguir seu coração e intuição. Eles de alguma forma já sabem o que você realmente quer se tornar. ”

Não tem segredo.