Estudos realizados pela Fundação Getúlio Vargas e Fundação Dom Cabral e com apoio da FIPE e do Insper, propõe a ampliação do limite de enquadramento das empresas do Simples Nacional e a redução de faixas de tributação.

A proposta é propor mudanças que visem o crescimento das empresas.

Declara Afif Domingos – Ministro da Secretaria das Micro e Pequenas Empresas, que o limite poderá ser reajustado para R$ 7,2 milhões, e, para as indústrias, este limite poderá ser ainda maior, de R$ 14,4 milhões anuais, seguindo algumas condições especiais, é claro!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

A alegação é de que as empresas possam “mudar de faixa” sem o medo de crescer e perder seu benefício como empresa simples.

Já com relação ao número de faixas de enquadramento, das atuais 20 faixas, a proposta é reduzir para até 7 faixas.

Outro detalhe é com relação a quantidade de tabelas que deverão ser reduzidos para 4: comércio, indústria, serviços com geração de emprego e serviços sem geração de emprego.

Resta-nos torcer para que as propostas sejam efetivamente vantajosas para as empresas e que as mudanças entrem em vigor ainda em 2015.

Tão logo tenhamos mais detalhes, retornamos com as atualizações.

Fonte:

http://g1.globo.com/economia/pme/noticia/2014/11/simples-podera-ter-menos-faixas-de-tributacao-e-limite-maior-para-industria.html

 

Este conteúdo foi útil para você?


Este conteúdo foi útil para você?

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast