Começarei contando uma pequena história, fato real, ocorrido anos atrás quando eu ainda era muito jovem, já analítico suficiente para presenciar, perceber e entender…

Meu pai era um agricultor bem-sucedido que cultivava café e para a sua produção requeria a contratação de mão-de-obra para o cultivo, isso representava, na época, a contratação fixa de várias famílias.

Numa dessas famílias, havia um colaborador ambicioso, que almejava algo mais, e, pediu que lhe fosse cedido uma pequena área de terras para que ele cultivasse feijão, assim, sua produção serviria para alimentar sua família e ainda poderia vender o restante para gerar uma renda extra.

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Porém, inúmeros detalhes não foram previamente avaliados:

  • Qual área estaria disponível para avaliar a produção possível de ser obtida;
  • Quanto custaria esse cultivo, considerando os insumos: semente, adubo, inseticida/fungicida e transporte
  • Quanto representaria a renda extra com a venda do feijão excedente ao preço de mercado

Como era de se esperar, nenhum planejamento prévio fora realizado e isso implicou em 2 grandes situações:

  1. sua ambição era inversamente proporcional a sua experiência para o plantio de feijão
  2. o colaborador não dispunha de nenhum recurso financeiro para tal e apelou para o financiamento do tipo “patrãocínio”

O(s) resultado(s)?

  1. A falta de recursos e a inexperiência implicou em investimentos inadequados ao cultivo (doses inferiores de adubação e tratos culturais inadequados) o que resultou na baixa produtividade.
  2. Pequena geração de receitas não suficientes para cobrir os custos praticados.
  3. Uma grande frustração, em função de que, além de muita dedicação e trabalho ainda lhe restou dívidas de sua empreitada.

Moral da história 1:

  • Você quer produzir e vender? Planeje o quê, como, quanto e por quanto;
  • Avalie se existem recursos financeiros para a sua empreitada;
  • Avalie em quanto resultará a sua empreitada (quanto vai produzir, quanto vai faturar, quanto vai custar);
  • Avalie se vai gerar lucro!

Moral da história 2:

  • Se vai gerar lucro, avalie se esse lucro será suficiente para satisfazê-lo ou se vai compensar todo o seu esforço!

Moral da história 3:

  • O resultado lhe satisfaz?  Então, avalie quais serão seus riscos: inadimplência, sazonalidade, concorrência, mercado, preços, custos, mão-de-obra…

Moral da história 4:

  • Ainda é favorável? Ótimo, então, mãos à obra!
  • É desfavorável? Bem, certamente você já está repensando sobre sua próxima ideia para investimento, certo?

Ah sim… sabe qual foi o aprendizado desse colaborador?

Suas palavras:  “aprendi que produzir pouco é arrependimento certo: se desse certo eu me arrependeria por ter produzido pouco e, como deu errado eu me arrependi porque resolvi produzir sem recurso! ”

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast