Não, não é ficção científica, não é filme de Hollywood. É realidade e vai influenciar e muito os negócios. Nesta semana saiu a notícia de que tanto o Facebook, quanto o Google estão realizando investimentos no desenvolvimento de drones.

Talvez alguns estejam me perguntando: Mas o que é o drone e para que serve?

Quem trabalha com tecnologia com certeza está mais familiarizado com o termo, mas outros não, então me permitam dar uma rápida explicação.

Drones são instrumentos controlados a distância por mecanismos eletrônicos e computacionais.

Vocês se lembram daqueles “carrinhos” que foram para Marte e Lua para tirar fotografias?

Pois é, estes veículos são alguns dos tipos de drones. A utilidade deles varia conforme a necessidade de quem realiza o programa computacional.

Mas vamos comentar rapidamente o que os grandes da internet estão buscando e que a partir de final de 2015 e início de 2016 começarão a influenciar ainda mais os negócios.

A modelagem que estão desenvolvendo tem como finalidade inicial permitir o acesso de a internet a pessoas que estão em áreas distantes dos grandes centros. Estes drones estarão a uma altitude de 20 mil metros e mandarão sinais de wi-fi para estas regiões.

O que isto implica nos negócios?

Não precisamos ser futurologistas, mas bons observadores e podemos imaginar alguns impactos de curto e médio prazo:

  • Ampliação acelerada de internautas – Sairemos rapidamente dos atuais dois bilhões de internautas, para a casa dos 4 a 5 bilhões de pessoas, que buscarão novos produtos, novos serviços, relacionamentos, troca de conhecimento. Os canais de acesso serão cada vez mais instrumentos móveis, como celulares, tablets, relógios e outros sistemas miniaturizados. (fiquem atentos)Produtividade e flexibilidade – Com a inclusão destas pessoas, surgirão novos nichos de mercado e surgirão novas empresas para atender estes nichos e as empresas existentes que quiserem concorrer em seus mercados atuais terão que se adaptar e aumentar a produtividade, revisitar processos, revisitar custos para poder sobreviver. Não podemos nos esquecer que ter um sistema de gestão baseados nos critérios de excelência, será cada vez mais fundamental para participar destes mercados.
    • Oportunidades na atividade logística – Para estas pessoas receberem seus produtos e serviços as logísticas direta e reversa serão necessárias. A logística reversa além das questões ambientais terá uma importância para diminuição da necessidade de matéria prima que pode se tornar um gargalo em função da demanda.

    ·         Oportunidade de inovação aberta – Se atualmente a pesquisa já pode ser compartilhada, imaginem as possibilidades que se abrem a partir da ampliação do relacionamento das pessoas para buscar a solução de problemas comuns nas áreas da saúde, energia, alimentos, com a finalidade de resolver problemas tanto escalonáveis quanto de nichos específicos, inclusive relacionadas a inteligência artificial, mas este é um assunto para post específico.

    • Oportunidades no campo da segurança e defesa – Temos acompanhado cada vez mais há o perigo de vazamento de dados e imagens pessoais e sigilosos, logo tanto no âmbito jurídico poderão surgir demandas para resolução de conflitos de interesse, quanto à criação de mecanismos que ajudem as pessoas a terem mais segurança e tranquilidade.

     

    • Universalização das melhores e piores práticas – Atualmente já é assim, não temos como controlar o que vira ou não sucesso ou notícia na internet. Com o acesso de mais pessoas, entrará na rede coisas boas e coisas ruins, e se sua empresa cair na rede de forma positiva você terá por um intervalo de tempo curto a oportunidade de desfrutar do sucesso, mas tenha certeza em pouco tempo surgirá algo diferente. Gerenciar o que sai da sua empresa e de você na rede é fundamental. Seja na prática de gestão do negócio, na gestão de pessoas, na gestão de inovação, na gestão de clientes. Porque se o que cair na rede for negativo, para você recuperar poderá levar um tempo considerável e os encargos poderão ser pesados.

    Tenha certeza se você não se colocar na rede, outros o farão por você.

    Você sabia que o Brasil também já tem pesquisas para desenvolver drones?

    Sim, atualmente há pesquisas financiadas pela FINEP voltadas principalmente para questões de segurança para Copa do Mundo e Olimpíada a partir de tecnologias israelense e sueca.

     

     

    Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

     

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast