Não é de hoje que se destaca a força das cidades do interior na economia.

O crescimento econômico, a qualidade de vida e a melhoria, ainda que sutil, da qualidade das estradas impulsionam o desenvolvimento das cidades do interior, que atraem cada vez mais negócios, dos mais diversos segmentos e agora em especial as franquias.

Muitas redes que tem marcas fortes já estão com o mercado saturado nas grandes cidades. Se alguém quiser comprar uma franquia já consolidada em uma capital, possivelmente vai entrar em uma fila de espera, onde normalmente a preferência é de que já é um franqueado. Isto acontece simplesmente porque como o número de estabelecimentos já chegou ao limite comportado para a região. Nestes casos, a abertura de uma nova unidade pode ser bastante negativa para as unidades que já estão em operação e pode ser que ela própria nunca venha a ser rentável.

Enquanto isto no interior existe inúmeras cidades que, que pelo tamanho da população, poder aquisitivo entre outros indicadores, comportam diversas franquias, que podem ser rentáveis e benéficas para o mercado local.

Conclusão do 1° Congresso Internacional de Franchising da ABF

Este cenário que já apresentávamos nas consultorias, agora fica ainda mais evidente com a conclusão da mesa que discutiu o mercado das franquias brasileiras no 1° Congresso Internacional de Franchising da ABF, realizado neste mês de abril.

Segundo matéria do site da Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios: “As cidades do interior não têm apenas novos consumidores como atrativo. De acordo com os franqueadores, os custos de aluguel são menores, e o turnover costuma ser baixo – não há tanta oferta de trabalho como nas capitais. Se a franquia tem um bom ritmo de vendas, em nove meses o franqueado consegue ter o dinheiro investido de volta”.

Como viabilizar?

Uma pergunta frequente quando se fala desta expansão para cidades menores, é sobre a viabilidade em regiões com uma população bem menor em relação às cidades que as franquias já atuam. Uma alternativa tem sido a união de marcas pertences ao mesmo grupo, ou não.

Com a parceria, em um mesmo ponto um franqueado pode montar dois ou até três negócios diferentes, compartilhando custos fixos (aluguel, telefone, etc.) e incrementando a receita através de negócios complementares.

Vamos falar mais sobre isto no próximo post, por enquanto fica a dica para quem quer montar uma franquia, ou expandir a sua rede, de olhar com atenção as oportunidades fora das grandes cidades.

Bons negócios, até a próxima!

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast