Eis uma situação que acontece indistintamente a quase todos os ramos e portes de empresas, a inadimplência… ou seja, o descumprimento de um contrato ou qualquer de suas condições, ou, o não pagamento até a data de vencimento de um compromisso firmado.

Daí geram-se os grandes problemas para quem vende… afinal, este também tem os seus compromissos e precisa cumpri-los.

Focando no nosso tema: “pior que não vender, é, vender e não receber!”, retratamos a mais comum das situações do mercado, as empresas para vender mais, tem a necessidade de conceder créditos dos quais muitos não são honrados, daí, como um efeito dominó, se a empresa não recebe também não tem capacidade para pagar as suas contas.

E quem está errado nessa situação?

Bem, são tantas variáveis… veja algumas justificativas do consumidor:

  • Fui inesperadamente demitido;
  • Tive problema de saúde na família;
  • Bati o carro;
  • Meu cachorro morreu…

MAS, eu vejo uma outra e clara justificativa: “a cada dia, o consumismo é estimulado através de novos modismos, novas tecnologias, novas e crescentes necessidades… SIM, o erro é nosso mesmo (digo isso porque também sou comerciante e me incluo nessa situação), estimulamos a venda e depois temos problemas para receber!

Agora, uma dica para fazer um cálculo bem rápido e objetivo sobre como impacta a inadimplência:

  1. Calcule os valores que a sua empresa tem a receber, vencidos nos últimos 12 meses;
  2. Divida esse montante pelo valor médio do faturamento médio mensal;
  3. Multiplique esse resultado por 100;
  4. Você encontrará o índice percentual da inadimplência na sua empresa.

Para analisar o “tamanho” do seu prejuízo, compare esse índice com o percentual do seu lucro operacional… simulando um índice de inadimplência de 12% e uma margem de lucro operacional de 10%, significa que o seu lucro e mais um pouquinho está sendo corroído pelos inadimplentes.

Esse é um efeito dominó… quando o último da cadeia, que é o consumidor final, deixa de pagar, o revendedor deixa de pagar seu distribuidor, que deixa de pagar ao fabricante, que deixa de pagar ao fornecedor da matéria-prima…

Você sabia que esta é a situação mais recorrente nos dias atuais?

Pense nisso e trate de ser mais rigoroso na hora de conceder crédito e NÃO DEIXE QUE O SEU ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA CRESÇA!

E lembre-se: “PIOR DO QUE NÃO VENDER, É, VENDER E NÃO RECEBER!”

 

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Este conteúdo foi útil para você?
Sim0
Não0

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast