Ao começar este blog, acredito que para muitos leitores o termo Startup é algo relativamente novo e que gera algumas dúvidas e curiosidades. Assim, considero importantes alguns alinhamentos básicos sobre os conceitos que definem o que é uma empresa startup e o seu chamado ecossistema.

Já presenciei algumas discussões sobre o que é ou não é uma Startup. Alguns resumem sua definição como qualquer empresa que esteja começando, ou seja, recém-criada, outros falam que são empresas de internet ou de tecnologia, mas das leituras que eu fiz, acredito que as empresas Startups possuem algumas características que as diferenciam dos demais modelos de negócio e que vou compartilhar com vocês aqui.

As Startups são empresas jovens ou em fase de desenvolvimento, inovadoras e criativas, com a capacidade de estabelecer um modelo de negócio que seja repetível, com um grande potencial de escalabilidade, e trabalham em condições de incerteza. Traduzindo:

Modelo de Negócio – é a forma como a empresa gera valor para os seus clientes. Não apenas seus produtos e serviços, mas a forma de apresentá-los ao mercado e disponibilizá-los aos seus respectivos clientes.

Inovadoras e Criativas – oferecem produtos, serviços ou um modelo de negócio com diferencial percebido pelo mercado em relação aos concorrentes ou até mesmo inédito. Podem ou não ser empresas de tecnologia e internet.

Modelo repetível e escalável – a partir de um modelo de negócio, a empresa consegue atingir um grande número de clientes, gerando lucros cada vez maiores, sem um aumento significativo dos custos, ou a necessidade de muitas customizações ou adaptações para cada cliente. Isso significa uma escala potencialmente ilimitada, podendo vender o mesmo produto ou serviço várias vezes sem que haja um aumento proporcional dos custos de operação, com isso, aumentando a margem de lucro.

Condições de incerteza – o ambiente é incerto até que o modelo certo seja encontrado. A própria inovação também contribui para a condição de incerteza. O capital de risco é fundamental para o desenvolvimento das Startups até que ela possua uma receita suficiente para se consolidar. Quando o modelo se torna escalável, a Startup deixa de existir e passa a ser uma empresa sustentável e lucrativa.

Quando uma Startup não consegue atingir seus objetivos inicialmente propostos, ela precisa se reinventar, muitas vezes redefinir o seu negócio. O modelo de negócio inicialmente proposto e malsucedido não é visto como um problema pelos empreendedores e pelos participantes desse ecossistema das Startups. É muito comum as Startups mudarem seus conceitos, produtos, público-alvo, parceiros-chave, fazendo os ajustes necessários e possíveis para encontrar o modelo viável no mercado após sucessivos testes em pequena escala.

Aqueles que quiserem empreender nesse modelo, devem ter em mente que o começo é sempre marcado por um contexto de incertezas. Algumas ideias que parecem com grande potencial de rentabilidade e de interesse dos potenciais clientes, podem se revelar inviáveis no mercado. Mas isso não é necessariamente um problema. Você pode adequá-las quantas vezes forem necessárias, obviamente considerando os recursos investidos que são limitados e tornar-se um case de sucesso!

Enfim, estas são algumas informações para uma melhor compreensão e resposta ao título proposto.  No próximo post escreverei sobre o chamado ecossistema que atua auxiliando no apoio desses empreendedores e na viabilidade desse modelo de negócio chamado Startup.

Fonte imagem: topcultured.com

Por Rafael Tortato

Receba conteúdos exclusivos do Sebrae direto no seu email.

 

Este conteúdo foi útil para você?


Este conteúdo foi útil para você?

Ei!? O que você achou deste conteúdo?
Compartilhe sua experiência

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Todos os campos são obrigatórios.




Privacy Preference Center

Diminuir ou aumentar fonte
Contrast